A possibilidade de ajudar a contar um pouco da história do Ceará foi uma das razões que motivou Rafael Agostinho a fazer parte da equipe de 10 alunos(as) da Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS) que iniciou, no último dia 23/08, o restauro do belo e enorme vitral do edifício da Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE). Os desenhos dispostos simetricamente nos 12 metros quadrados de vidros coloridos que ficam no hall de entrada do histórico prédio cumprem mais que uma função estética. No painel, é possível vislumbrar vários elementos que ajudaram a promover a economia do Ceará ao longo do tempo, como o café, o algodão e a ferrovia.
“Eu sempre gostei muito de história. E a história não é contada apenas de forma oral ou escrita, mas também através dos objetos e edificações. O patrimônio público nos fala muito sobre o tempo que já passou, sobre como as pessoas viviam, sobre como era a sociedade”, destaca Rafael, que além de aluno da Escola, é estudante de Arquitetura. O trabalho dele e dos(as) demais jovens selecionados(as) pela EAOTPS, instituição ligada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e gerida pelo Instituto Dragão do Mar, será o resultado final do Curso de Aperfeiçoamento em conservação e restauração de bens patrimoniais com foco na técnica com vitrais, ofertado pela EAOTPS.
A restauração durará aproximadamente 50 dias, sendo dividida em quatro etapas. Na primeira, a equipe realiza a análise do estado de conservação do vitral com o intuito de elaborar um mapa dos danos causados pelo tempo. Posteriormente é feita a desmontagem e armazenamento das peças que serão levadas para a Escola. Já na terceira etapa, serão realizados procedimentos de higienização das peças, para, por fim, iniciar a execução dos procedimentos de recuperação dos componentes e de remontagem. Todo o restauro será acompanhado por uma equipe especializada, comandada pelo artista visual e restaurador Antônio Vieira, tendo a consultoria da Castel Vitrais, empresa de Ribeirão Preto (SP) que traz uma tradição de quatro gerações. A vitralista Yolanda Geuer Castel, proprietária da empresa, aprendeu com o bisavô a técnica totalmente artesanal do vitral, que remete aos tempos medievais, mantendo-se praticamente inalterada ao longo dos anos. “A técnica que meu bisavô usava, por exemplo, é a mesma de hoje”, ressalta. Para Yolanda, ver jovens envolvidos no restauro do vitral da Sefaz é um alento: “Muitas vezes eu me vejo precisando de pessoas qualificadas e é muito difícil, até porque é uma profissão que está ficando extinta. Saber que têm alunos(as) sendo formados é muito bom, porque há muitos vitrais que precisam ser restaurados no Brasil”.
Os(as) alunos(as) envolvidos(as) no projeto já passaram por outros cursos ofertados na área de conservação e restauração da EAOTPS e o vitral da Sefaz será mais um patrimônio público restaurado com participação de estudantes da Escola. Edificações históricas de Fortaleza, como o Palacete Thomaz Pompeu Sobrinho (sede da Escola), o Cineteatro São Luiz e o Sobrado Dr. José Lourenço, além de obras de artes importantes, como as esculturas do Museu São José do Ribamar e o acervo da artista plástica Sinhá D’Amora (1906-2002) são alguns exemplos de peças e equipamentos restaurados com apoio da Escola de Artes e Ofícios.
“Acredito que a Escola está cumprindo um importante papel de despertar uma maior consciência patrimonial entre jovens, além de formar uma mão de obra necessária que ajuda a promover a inserção econômica dos alunos(as)”, ressalta Marley Uchôa, coordenadora da EAOTPS.

SOBRE O VITRAL DA SEFAZ-CE – O painel foi inaugurado em 1927 juntamente com o Palácio da Fazenda (sede da Sefaz), localizado no Centro de Fortaleza. Tem seis metros de altura e foi confeccionado pelo italiano Cesare Formenti e seu filho Gastão. Os dois artistas eram donos do Atelier Formenti, um renomado estúdio do início do século 20, localizado no Rio de Janeiro, responsável pela execução dos vitrais da Catedral Metropolitana de Vitória e do Palácio Tiradentes, sede do Legislativo fluminense. Essa é a segunda vez que o painel passará por reforma. Em 1997, na gestão do secretário da Fazenda Ednilton Soárez, o serviço foi realizado por uma empresa especializada, sob supervisão da Secult.

Skip to content