Inaugurada em 2002, a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS) é uma instituição administrada, desde 2006, pelo Instituto Dragão do Mar, sob Contrato de Gestão com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. Nesse sentido, a Escola cumpre o papel fundamental de oferecer oportunidades de formação e mobilidade social para todo o público que participa de seus programas e projetos.

“Tem como missão realizar atividades de capacitação em restauração e conservação do patrimônio cultural material, bem como da valorização e recuperação do patrimônio imaterial, ressaltando sua importância e relevo histórico”.

Nos primeiros anos de atuação, a Escola concentrava suas atividades pedagógicas na capacitação em conservação e restauração do patrimônio cultural material, bem como no estímulo e desenvolvimento de projetos ligados a valorização e recuperação do patrimônio cultural imaterial do Ceará.

Desde 2006, a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho vem expandindo seu programa de formação e, hoje, oferece, além dos cursos de conservação e restauro,  cursos, oficinas e minicursos livres de gravura e artesanato. Ao final de cada curso, o aluno está apto a criar e comercializar produtos exclusivos, nas diversas tipologias da nossa terra.

A cada ano, são ofertadas vagas nos diversos cursos promovidos pela Escola. Os cursos são gratuitos e o aluno recebe todo o material didático. O público-alvo é formado, preferencialmente,  por jovens estudantes de escolas públicas e/ou em situação de vulnerabilidade social.

Criado em 1998, o Instituto Dragão do Mar é a primeira Organização Social (OS) de Cultura do Brasil. A instituição atua promovendo o acesso democrático a todas as formas de expressão artística, bem como incentivando a produção e formação de atores culturais. A Escola de Artes e Ofício Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS) é um dos equipamentos gerenciados pelo Instituto. Além dela, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, o Porto Iracema das Artes, o Centro Cultural Bom Jardim, a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, a Escola Vila Da Música (Crato), a Casa do Saber Cego Aderaldo (Quixadá), o Cineteatro São Luís e o Teatro José de Alencar,  também são equipamentos gerenciados pelo Instituto.

“A instituição atua promovendo o acesso democrático a todas as formas de expressão artística, bem como incentivando a produção e formação de atores culturais. A Escola de Artes e Ofício Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS) é um dos equipamentos gerenciados pelo Instituto.”

Thomaz Pompeu Sobrinho

Engenheiro, escritor, articulista e intelectual de destaque no Ceará no século XX, Thomaz Pompeu de Souza Brasil Sobrinho teve ao longo de sua vida uma relação muito forte com o nosso Estado. Nasceu em Fortaleza, no dia 16 de novembro de 1880. Cursou os ensinos preparatórios no Liceu do Ceará. Formou-se em Engenharia Civil pela Escola de Minas de Ouro Preto. No exercício de sua profissão, teve uma atuação destacada, chegando a dirigir Inspetoria de Obras contra as Secas, atual DNOCS.

Autor de várias publicações e estudos, foi considerado um grande mestre da História, Geografia, Antropologia e Etnografia Indígena. Foi presidente do Conselho Estadual de Economia e do Instituto do Ceará (1938 a 1967), além de membro da Academia Cearense de Letras, onde recebeu o título de Presidente de Honra.

Em 1929, construiu a Casa Thomaz Pompeu Sobrinho, onde residiu até o seu falecimento, em 1967. A edificação hoje abriga a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho.

“Autor de várias publicações e estudos, foi considerado um grande mestre da História, Geografia, Antropologia e Etnografia Indígena. Foi presidente do Conselho Estadual de Economia e do Instituto do Ceará (1938 a 1967), além de membro da Academia Cearense de Letras, onde recebeu o título de Presidente de Honra.”

O PALACETE

Impossível caminhar na Avenida Francisco Sá e não deixar de se encantar com a bela e imponente fachada do palacete onde viveu Thomaz Pompeu Sobrinho e sua família. A edificação, juntamente com tantos outros casarões e sobrados antigos erguidos nas proximidades, denuncia que o bairro Jacarecanga (antigamente denominado bairro Fernandes Vieira) serviu de morada para parte da elite fortalezense que no início do século XX buscava fazer da região uma área residencial.

Com arquitetura de clara influência europeia, em estilo Art Nouveau italiano, a casa levou cinco anos para ser construída (de 1924 a 1929). Hoje sedia a Escola de Artes e Ofícios Thomaz Pompeu Sobrinho (EAOTPS), após ter sido restaurada pelos próprios alunos da instituição, que fizeram parte da primeira turma do Curso de Restauração do Patrimônio Arquitetônico. Todos os espaços do casarão foram aproveitados e adaptados para abrigar salas de aula, biblioteca, ilha digital, salas de exposição e ateliês artísticos. As intervenções resgataram e mantiveram a originalidade da edificação. O palacete é protegido pela lei estadual nº 9.109/68 e pertence ao Governo do Estado do Ceará.

Além de sediar a realização de cursos, o casarão é aberto a visitações.

“A casa que pertenceu ao engenheiro Thomaz Pompeu Sobrinho é atualmente um exemplo de que se pode preservar o patrimônio histórico cultural e, ao mesmo tempo, colocá-lo à disposição da população como organismo vivo, em diálogo permanente com a cidade”.

ONDE FICA A ESCOLA?

Skip to content